segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Eu sei que não é novo...

Mas por vezes tem que ser dito e repetido quase como um mantra. Porque é assim que se ganha estabilidade, sabendo aquilo com que se conta e o que é ou não definitivo. Se difinitivo é subjectivo? Claramente que sim, mas torna-se menos subjectivo quando é dito por alguém, mesmo que aquilo que é verdade hoje não seja amanhã. E se nós não sabemos a verdade hoje, na realidade não sabemos nada...


Definitivo
Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional…

Carlos Drummond de Andrade

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Ai que saudades...



do sol e dos almoços junto ao mar... Hoje não levei a máquina mas foi uma caldeirada de peixe óptima de se comer, com um vinho branco fresquinho só para mim, que o resto da familia bebeu outra coisa. Não há fotos de hoje, mas tenho estas que também lembram as refeições em familia feitas no verão passado junto ao mar.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Inolvidable - Luis Miguel


É das ideias mais insanas que ouvi nos últimos tempos. Testar o amor que se tem por alguém nos braços de outra pessoa? É que nem para as criaturas mais básicas, quanto mais para mim! E os sentimentos desses braços alheios que nos confortam não importam para nada? Pensar que eu pudesse fazer uma coisa dessas é não me conhecer de todo.

Sementes da Sabedoria


Tenho uma caixinha com uma série de mensagens, sendo que se pode tirar uma delas aleatóriamente 1 vez por dia. A caixinha para funcionar tem que estar limpa e bem energizada e já há uns tempos que não me lembrava dela. Ontem alguns colegas perguntaram quando é que voltava a levar a caixinha para o trabalho e por isso vou limpar e energizar a caixinha durante as minhas folgas para que todos possam usufruir dela. Curiosamente hoje de manhã, fui tirar uma semente da sabedoria e percebi que afinal a caixinha ainda está com um bom astral. A minha semente para hoje diz assim - Na amizade como no amor, o conflito nasce muitas vezes da excessiva dependência e incapacidade de reconhecer a liberdade de escolha de cada um.
Espero que percebam a minha, porque durante muitos anos acreditei que era eu quem dava demais ás relações. Errado. São os outros que dão de menos e isso é problema deles, tem que ver com as suas próprias escolhas e capacidade de dar ou não. Durante muitos anos voltei atrás vezes e vezes consecutivas e dei a mão, dei 10 e 20 oportunidades a pessoas que tinham errado, pensando que estava a fazer o melhor para elas. Se calhar não foi o melhor que fiz. Liberdade, amor e amizade são palavras que vivem ligadas a uma só - respeito. É falta de respeito desprezar um amigo ou um amor, em vez de lhe dizer simplesmente a verdade ou dizer que não, por muito que nos custe. É falta de respeito fingir que não nos fizeram uma pergunta á qual esperamos resposta, mesmo que não seja aquela que queiramos ouvir. É falta de consideração não dar resposta em tempo útil ás solicitações de um amigo, ou de um amor. Se isso é falta de amor ou falta de amizade? Talvez seja... mas já não é problema meu, é simplesmente de quem não soube dar. E este vai ser o ano em que eu vou deixar de me preocupar com quem não sabe dar, porque é só olhar em volta e vêr que há tanta gente que dá e precisa de amor e amizade. Chega de relações tóxicas. Isto sou eu a respeitar a liberdade de escolha que algumas pessoas tiveram quando não me responderam ou não deram. Agora respeitem a minha liberdade em vos dizer que não vos quero mais na minha vida.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Destino de férias


Já está escolhido e pago. É um País misterioso e faz parte do meu top 10 dos locais a visitar. O melhor de tudo é que falta menos de um mês para partir!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Aquilo de que não abdico IV


Duas limpezas de pele durante o ano num bom instituto de beleza. Faz toda a diferença.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Não me mexo, mas tenho que me mexer...


Yupy hoje está sol! Um sol acanhado mas sol, finalmente!
Quem vai ter sorte? O Barbas e a Winky que vão passear comg 8km e já nem se mexem o resto do dia. E mesmo assim com mau tempo e 2 deslizes na dieta os ultimos tempos, desde que voltei a portar-me bem já se foram 3kg. Qualquer dia vou parecer como esta menina a passear os cães pela rua ;-)

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Não me mexo...


Pois temos tido uma semana de caca, sempre com chuva o que é um grande problema para o meu regime porque não vou correr nem caminhar. Se apanhar uns pingos de chuva um dia por outro ainda vá, mas todos os dias não dá. Então numa parceria da empresa com o holmes place acabei por arranjar uma semana de treino grátis. Eu já lá andei mas desisti, porque era muito caro para quem só ia 3 vzs por semana como era o meu caso. Vi no site da metereologia chuva para a próxima semana e assim já tenho o exercicio garantido. Só que hoje estou de rastos... fui com um amigo e tal como ja tinha dito os meninos nos treinos puxam mais que as meninas pelo que são a companhia ideal para quem quer perder peso. Hoje com o meu amigo V foram 1h de cardio, 12 piscinas, e 20 minutos de jacuzzi. Estou que não posso!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Shall We Dance? Movie Clip


Talvez esta noite seja assim! Já tenho saudades das noites em que eu era assim...

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Hoje foi dia de..


Dar sangue. Sou dadora de tudo quanto se possa ser, e quando no natal as instituições enviam cartas a desejar as boas festas os meus pais ficam logo preocupados a pensar que me vão chamar para doar algum orgão lol
Dou Amor e tudo o resto, e este Amor é diferente dos outros, é fazer bem sem olhar a quem.
Que bem me sinto hoje :-)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Lizzie talks.


Faz hoje dois meses de tratamento e eu também já fui assim e agora que já só falta 1 mês para o terminar, já estou a andar rapidamente, talvez rapido demais.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Aquilo de que não abdico III


Unhas e mãos sempre impecáveis. Nem consigo usar aneis (e se eu gosto de os usar) se não tiver as mãos arranjadas e quanto a isso não há medidas de austeridade que me contenham!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Penso rapido


Este dia decorreu normalmente. Algumas pessoas perguntaram como ia passar a noite de São Valentim. Verdade que poderia ter uma noite ao jeito romantico com pelo menos 2 pessoas interessantes e disponiveis, mas não me apeteceu. Sai do trabalho e fui á manicure pintar as unhas de vermelho escuro e vim para casa escrever no blog e jantar com os pais. Se existisse sapatinho os planos para o fds que passou já estavam feitos há muito tempo, só que teria que reservar e pagar em Dezembro e tendo em conta o sapato, não me pareceu boa ideia. Pois se existisse um namoro com o sapatinho, este fds tinha ido ter com ele a seguir ao almoço e levava-o a uma aula de volteio no hotel da penha longa, porque sei que nunca andou a cavalo e seria uma experiência única que eu lhe poderia proporcionar (melhor guardar experiencias que coisas materiais). Depois deixava que me levasse aos sitios e monumentos que não conheço e por volta das 17h iamos para o convento de São Saturnino passar a noite. Teria reservado a suite vermelha. Dormiamos a sesta como ambos gostamos de fazer para quebrar a rotina, era namoro antes de jantar. Depois seguia-se um jantar à luz das velas também no hotel e a seguir iamos dar um passeio por Sintra à noite e ele ia contar-me histórias fantásticas que mais ninguém conhece... Depois disso noite de nupcias daquelas ao nosso jeito. Acordar com ele a imitar um personagem qualquer e a deixar-me morta de riso com as vozes que faz e as histórias que inventa logo ao acordar, seguido de um bom pequeno almoço com vista para a serra. Este seria o meu fds de São Valentim com o sapatinho. Mas já estáva á espera que o piriquito morresse ou algum familiar caisse das escadas e eu ia apanhar mais um balde de água fria, mais uma desilusão. Neste momento desilusões são um luxo e um risco que não posso correr, também por isso tudo acabou. Preferi colocar um penso rápido no coração em Dezembro, para hoje puder estar aqui calmamente sentada a escrever sobre o assunto. Se não o tivesse feito, hoje se calhar já não restava nada desse coração que anda com um penso gasto.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Resumo






Pois nos últimos tempos tem sido uma festa de cinema. O tempo que estive de baixa ajudou a ter disponibilidade para isso, mas agora que já estou a trabalhar à 15 dias os convites continuam e os óscares estão por ai, por isso há que rumar ao cinema. Gostei de no meio desta loucura cinéfila ainda haver tempo para teatro e para ontém jantar com vários colegas e amigos num restaurante italiano (infelizmente não vão haver fotos porque todas mostram a cara e eu gosto de respeitar a privacidade dos meus amigos). Fazendo o resumo os últimos tempos voltei a correr a dieta está a correr lindamente embora ontém tenha jantado lasanha (divinal) e estes filmes já foram todos vistos. Ah e já tenho data marcada para fazer o meu salto de paraquedas com os meus 3 amigos. Querem apostar que sendo a única menina do grupo sou a primeira a saltar do avião? :-)

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Para explicar como se eu fosse muito burra


Ontém um colega colocou na minha secretária uma caixinha com 3 bombons destes. São serenata de amor e ele diz que são os seus favoritos. Até aqui tudo bem. Tinha ralhado com ele uns dias antes porque me está sempre a perguntar coisas e a tirar duvidas comigo quando ele já lá está há muito mais anos que eu. Disse que não era sua secretária e que tinha era preguiça. Na quinta feira o menino assim com jeito de quem não quer a coisa disse que não me tratava como se fosse sua secretária era simplesmente para confraternizar mais comigo e que as coisas não tinham que ser assim se eu lhe desse uma oportunidade para jantar com ele. Ora eu que dele quero é distância, disse-lhe logo - Meu amigo no teu caso isso não seria uma oportunidade, seria um problema, pelo que te aconselho a não arranjares dores de cabeça. Fui-me embora. Ontem chega, não se senta junto de mim e deixa-me os bombons.
Ora vamos lá vêr, eu não sou uma mulher muito comum, pelo que a possibilidade de um homem normal se interessar por mim é quase nula, tal como eu nunca me interesso por homens ditos "normais". Sendo eu o que sou e sendo a criatura em questão um homem normal, fui eu que fiz confusão e isto não é nada do que parece certo?
Simplesmente queixei-me que não era sua secretária e ele numa lógica de patrão empregada, resolvou levar bombons, porque nós nunca queremos ter uma secretária zangada, mesmo que ela não seja secretária nem ele tão pouco o seu director. É mesmo isso. Raio de imaginação fértil que eu tenho!!!

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Gosto que escrevam sobre mim e para mim


E agora que ando a arrumar as caixinhas do meu passado e a tentar seguir em frente recordei um dos poemas mais bonitos que um dos meus apaixonados me dedicou. Acho que os homens alentejanos têm mais uma costela romântica do que os Lisboetas e quando estão apaixonados fazem tudo quanto se possa imaginar. Óbviamente que não revelo o nome do autor nem sequer essa relação já existe, mas este poema faz-me bem ao ego. Ás vzs também tenho direito a alimentar as minhas imperfeições :-)

Quero amar-te como ninguém te amou;
Em toda a parte quero ter-te sem fim;
Como se fosses tu uma parte de mim;
Amar-te até desconhecer quem sou;

Quero encontrar-te se ninguém te encontrou;
Passear contigo entre as flores do jardim;
Colher as mais perfumadas que o jasmim;
Para que por ti saibas quem se apaixonou.

Quando te imagino sabes o que eu vejo:
Alguém que encheria todo o meu ego;
Por isso encontrar-te é o que eu almejo.

E se não podes amar-me por medo
Aqui te deixo um secreto desejo:
Seremos amantes em grande segredo!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

De lingua de fora


Isto de correr tem muito que se lhe diga. Sozinha não consigo, porque não gosto, desisto, desanimo e por ai adiante. As minhas companheiras das caminhadas não correm, logo arranjei dois meninos para irem correr cmg, um de cada vez lol
Hoje fui para a praia de Sto Amaro correr com o meu amigo G. Quer dizer foi mais andar que correr, mas mesmo assim foram os primeiros 900 mts que voltei a fazer desde há 10 anos. Posso dizer que apesar do piqueno me informar que é fumador e que só corre atrás da bola a jogar futebol, me deixou de lingua de fora. Houve ali dois momentos em que o meu ritmo cardiaco acelerou bem. Nem quero pensar como me vou levantar amanhã. E não, ainda não estamos como os dois meninos atléticos da foto, mas lá chegaremos!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Hoje já não dá...


Eu bem queria contar a história do chá e do chapeu de ontém à noite, mas hoje foi o primeiro dia em que me recordei como a fadiga mental de um dia de loucos no trabalho nos pode deixar completamente ko. É já para a cama que não posso mais.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Christina Aguilera - The Voice Within


Gato escondido com rabo de fora...
Quem quer voltar volta, muda de vida, muda de atitude e vive simplesmente. Não sou eu a doutorada em fugas para a frente.
Eu vou saltar do penhasco, contigo ou sem ti, porque eu gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Tu também és assim.
Agarras a minha mão ou salto sozinha? Confias?

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Porque quando o aluno está pronto o mestre aparece


Ontém fui assistir ao filme, cisne negro. A sessão estava esgotadissima e eram pelo menos 200 pessoas naquela sala. Quando sai de lá olhei para os seus rostos e não vi nada de diferente. Alguns comentavam que não era bem aquilo que esperavam, outros que ela de certeza que vai ganhar os oscar para melhor actriz, mas a conversa não passava daí. A minha madrinha disse que a pobre criatura estava louca e que muito se devia ao controlo que a mãe exercia sobre ela (mas isso é história da vida da minha madrinha), não é a história do filme nem a mensagem que ele passou. Saí de lá transtornada e lembrei-me disto " tens que aprender a viver com as duas criaturas que vivem dentro de ti, e há uma delas que conheces muito pouco. Em certas noites essa Susana revela-se e mostra-se a mim. Mas o trabalho aqui é saberes que as duas vivem em ti, conhecer bem cada uma delas e deixar que a mais correcta para a situação se manifeste no momento certo". Admiti o que ele me disse, mas não fazia a menor ideia de como o fazer. Se ele não me tivesse dito aquelas palavras naquele momento, ontém eu seria como qualquer uma daquelas 199 pessoas que não entendeu a mensagem do filme. E ainda entendi mais, entendi que estava a ir pelo caminho errado, não tenho que me reinventar. Só tenho que alimentar e deixar sobressair a Susana certa para o momento da vida que estou a atravessar. Ele mostrou-me o caminho e hoje estou na estrada certa :-)

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Conversas tardias


Consegui sobreviver à minha primeira semana de trabalho após o periodo da baixa. Mas não sei o que se passa que 1 mês e meio depois volto á empresa e todos precisam de mim, sinto-me sugada. É preciso contar o que se passou nas suas vidas durante a minha ausência, todos querem ser escutados, todos querem conselhos, todos querem atenção. Tenho chegado todos os dias mais tarde a casa ora porque é preciso ir tomar um café com esta ou aquela pessoa para puder desabafar cmg, parece que todos esperam a minha ajuda e eu acabei de voltar tenho que ir com calma. Ontém quando cheguei a casa a minha mãe resolvou ter uma daquelas conversas comigo... eu já cheia de sono depois de uma semana intensa e ela vem com esta conversa assim:
- Quais são os teus planos para amanhã? A tua prima Zé vem cá e vai aos fados com umas amigas e perguntou se nós também vamos com ela.
Bom, eu amanhã não tenho tempo o dia está todo tomado, vai tu com ela.
- Sem ti não vou.
Então não sei como vamos fazer porque tenho que me levantar cedo para ir á costa da caparica tratar do contrato de luz da madrinha. Depois faço a caminhada no paredão e vou passar por casa dos meus amigos que vivem em França para vêr o correio e se está tudo bem em casa deles. A seguir ao almoço vou ajudar a madrinha na casa dela, depois venho trocar de roupa para ir jantar ao restaurante indiano porque uma amiga quer falar comigo e nunca provou comida indiana e pensou que eu seria a pessoa indicada para ir com ela. Não lhe podia dizer que não. Depois saio de lá quase a correr para ir ao cinema vêr o cisne negro, que já comprei os bilhetes e prometi à madrinha que ia vêr esse filme com ela, se eu não for, ela não tem mais ninguém com quem ir.
- A minha mãe só me diz assim - muito bem, um dia inteiro para os outros e para ti o que sobra? e logo na semana em que voltas a trabalhar, se o psiquiatra soubesse disto dava-te baixa novamente. Não estás a ir depressa demais? E tu? E o teu descanso? Sofres de hiper sensibilidade emocional e não contente com isso ainda queres arranjar um esgotamento, porque tens que estar para toda a gente em todas as partes e a todo o momento. Ah já sei o que é, enquanto andavas entretida com as angustias que arranjavas com o teu sapatinho, só tentavas salvar meio mundo. Agora que não o podes ajudar a ele queres salvar o mundo inteiro! Quando é que isto vai acabar? Susana, a generosidade começa por casa, ou seja por nós. Se tu não cuidares de ti e te preservares não vais conseguir ajudar ninguém. Vai com calma sim?
E eu cheia de sono e a ouvir o sermão pensei que raio, porque é que as mães têm sempre razão? - Sim mãe eu vou dormir, amanhã é assim mas no domingo passo a ser um vegetal. Durmo até tarde, passeio com os cães e depois volto para casa e passo a tarde a ler e a vêr tv, já não estou para mais ninguém. Melhor assim?
- Menos mal diz a minha mãe. No meio disto tudo até os cães têm sorte em te ter como dona. Preocupa-me vivermos num mundo cheio de lama e tu seres uma lâmpada com tantas borboletas á volta da tua luz. Se não te protegeres um dia a lâmpada vai perder o brilho e acaba por se fundir. Vou estar de olho em ti, agora vai dormir...

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Porque existem dias em que vale mesmo a pena ir trabalhar


A noite passada dormi pouco e mal. Na realidade tenho saido mais que o habitual e conjugar isso com o trabalho ao qual voltei e me tem corrido bem, nem sempre é facil. Se por um lado tenho mais energia e mais vontade de ser social por outro as horas de sono fazem falta. Ontem o teatro foi optimo e a pessoa com quem fui conhece alguns dos meus familiares, inclusivê um primo que faz uns ais muito engraçados quando tem dores de estomago e passeia pelo corredor a noite toda com essa lamúria. Embora a peça fosse uma tragédia, no final quando todos estavam comovidos quando o rei de tebas descobriu o seu filho morto por sua culpa, o mesmo começou aos ais gritando quase em uivos enquanto carregava o corpo. Nesse preciso momento tivemos um ataque de riso compulssivo porque só nos lembravamos do meu primo Manuel e diziamos um para o outro que ou ele conhecia o actor ou já tinha visto a peça. Embora tenha passado um bom bocado, dormi poucas horas e aquela história de pensar no sapatinho deixou-me transtornada, até sonhei com ele. Previa uma manhã complicada e uma 6f que nunca mais acabava mas afinal... evitei que uma colega que anda muito desgastada com a função que lhe deram recentemente ficasse pior. Fui ter com o meu chefe e com o chefe dela e disse que nos trocassem de lugar. Como era possivel não perceber o quanto ela estava arrasada? Eu faria de bom grado a função que lhe estava destinada e ela iria fazer a minha. O meu chefe concordou logo e nem deixou o outro falar, mandou-nos trocar de lugar imediatamente. Quando cheguei ao outro departamento estava lá uma miuda que entrou há uns 7 meses para a empresa e que é acanhada, quieta e bipolar por estranho que possa parecer. Pediu-me ajuda porque não conseguia imprimir um documento e eu fui ajudar e percebi que era um guião dos inquéritos de qualidade que ela faz traduzido para inglês. O contrato dela está a acabar e tem medo que não o renovem, alguém lhe atirou uma boca de que ela não fazia contactos em inglês e ela com medo fez uma tradução á letra do português para o inglês e queria começar a faze-los. Sentei-me ao lado dela e perguntei se a chefia a tinha incentivado ou perguntado as suas necessidades de formação. Disse-me que apenas lhe deram um manual e um número de registos a atingir por dia. Sorri, e disse-lhe, sabes aqui dizem que todos aprendem com todos mas não é verdade. Aqui os colegas aprendem com os colegas e tu vais aprender hoje. Sentei-me ao seu lado e disse para imaginar que eu era o cliente e para me fazer o inquérito em inglês, mas quando a ouvi falar percebi que o seu inglês não era mau mas estava completamente fora de contexto. A quem cabe ensinar isto? Era uma pergunta retórica... expliquei que os clientes eram essencialmente ingleses e não americanos e que nós temos os ouvidos treinados para ouvir os filmes e canções que passam na rádio e que aquilo é americano e não inglês.
Expliquei que existem expressões que não podem ser traduzidas à letra. Corrigi todo o seu script e ela fez o inquérito. Aconselhei a falar mais devagar e usar sons mais arredondados e suaves. Correu bem. Houve uma altura em que ficou com medo porque a chefia do departamento não parava de olhar para nós e disse apenas que ficasse calma, que se alguém viesse questionar eu falava por ela e explicava o que estavamos a fazer. E depois, perguntou ela? Depois, se isso acontecer ponho o meu lugar á disposição e eles vão insistir que fique para te ensinar, porque se algum deles o quisesse fazer já o teria feito.
Quando voltei do almoço tinha este papel no meu teclado. É por estas coisas que gosto de ir trabalhar. Se pudemos fazer a diferença e ajudar os outros a serem mais porque não o fazemos? Bom... alguns fazem. Adorei ir trabalhar hoje.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Hoje nem o Prozac me salva


Estou perdida no labirinto. Hoje á tarde recebi uma chamada de uma amiga, que é casada com um jornalista que tem um programa de rádio e ainda tinha bilhetes para o teatro de Almada. Os últimos que ela ofereceu foram para adptações de peças do Saramago e acho que ia roer os pulsos durante a peça por isso apesar de gratis não fui. Hoje a peça é Antigona de Sófocles, um classico que nunca vi e aceitei os dois bilhetes. Assim que desliguei o tlmvl pensei no meu sapatinho. Pensei em chegar a casa e tomar um banho quente, colocar pó de arroz com aquele cheiro doce das amendoas, escolher umas meias de liga, um vestido de veludo verde escuro, uns brincos e um colar a condizer. Faltava a maquilhagem perfeita e os sapatos de salto alto pretos com que posso sempre andar na rua com ele porque me dá sempre a mão e é óbviamente mais alto que eu. E sei que iria apreciar cada pormenor, desde as unhas ao baton vermelho passando pelo vestido ou pelas joias postas. Sei também que a peça até poderia não ser a mais interessante do mundo mas que ele se sentaria ao meu lado e mesmo calado e atento a sua mão estaria sempre acariciando a minha. Sei que seria uma peça feliz independentemente do final, e mesmo que nada fosse dito, só o cheiro a presença o toque o olhar nos faria ter um momento especial. Mas eu não pude convidar a minha primeira opção que será sempre ele porque há dois meses que estamos separados, porque eu quis e ele não se pronunciou. Houve alturas em que ele sentiu que tinha que se afastar porque me fazia mais mal que bem, e hoje sou eu que sinto que tenho que estar longe porque lhe posso fazer mais mal que bem. Convidei o amigo com quem mais tenho saido, mas hoje tinha um jantar não podia ir. Depois liguei para a minha 3º opção e era mais que certo que ia aceitar. Tenho boa companhia, tenho bilhetes gratis, este ano ainda não fui ao teatro e ainda assim estou infeliz. Vou na mesma, de botas, calças pretas, camisa branca, cabelo apanhado, talvez baton nude.
Fui egoista o suficiente para enviar uma msg ao sapatinho a perguntar caso lhe fizesse o convite ele aceitaria e ele disse-me que sim. Isso fez-me chorar. Mais um sinal que devo manter-me longe dele. Durante a tarde as minhas colegas notaram que não estava bem e contei os meus pensamentos e das 5 que estavam à mesa 4 são casadas e têm filhos e todas elas me disseram que isto é normal que todas tiveram um amor assim na vida e que ainda hoje pensam e sonham com ele, mas todas estão casadas com outro homem que não o "tal". Eu não quero ser um dessas mulheres que todos os dias acorda ao lado do homem errado, daquele que se ama mais ou menos, que serve mais ou menos e no fundo apenas serviu para fazer o que a sociedade espera de nós, casar ter filhos e ser feliz para sempre. Ainda fiquei mais agoniada quando as ouvi, embora saiba que elas se preocupam e so querem ajudar. Quem sou eu? Será que tenho feito tudo mal? Espero que ao menos ele saiba, porque eu estou perdida no labirinto, não estou bem com ele (nas circunstâncias em que viviamos) nem sem ele. Estou a forçar-me a ser forte a descobrir a felicidade noutras coisas e em outras pessoas a tentar orientar a minha vida a fazer mais que sobreviver e ainda assim o meu tripé é ele. É nos seus braços que eu estou em casa, e honestamente agora não sei onde vivo nem onde estou...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O meu aroma...


Ontém quando cheguei à empresa após 1 mês e meio de ausência, ouvi logo vozes no piso em que trabalho. Quando se abriu a porta do elevador estavam lá duas colegas a picar o ponto e a primeira coisa que ouvi além de bem vinda de volta foi isto - Soube logo que eras tu. Senti o cheiro doce que deixas ficar no elevador quando sais, e pelos sitios onde passas. Já tinha saudades tuas. Fui dar beijinhos a todos os colegas e entretanto reparei que aquela senhorita que me sentiu o cheiro logo de manhã estava a acabar de sair da casa de banho já com a maquilhagem posta. Sorriu e disse, basta tu voltares para eu ter mais vontade de ser mulher e de me arranjar. É bom quando provocamos estes sentimentos ás pessoas e quando sentimos o quanto é real a falta que ás vzs lhes fazemos mesmo quando elas não o dizem. Quanto ao meu aroma, confesso que tenho dezenas de perfumes, uns de dia, outros de noite, um para cada estação, alguns que uso só com certas pessoas, lugares ou ocasiões, por exemplo uma das cidades a que vou com frequência é Paris e lá só uso Allure da Chanel, porque foi o perfume que a minha amiga que lá vive me ofereceu a primeira vez que lá estive. Se for uma noite glamorosa, quente, sofisticada, preciso de me sentir poderosa então uso Opium da YSL, há mais de 15 anos que tenho sempre um frasco desse perfume. De qualquer forma os perfumes por muito iguais que sejam ficam muito diferentes na pele de cada um. O meu aroma é o de amendoas esmagadas com cristais de açucar e o perfume pode ser qualquer um conforme a circunstância. Lembrei-me de uma noite em Cascais em que falava sobre o meu aroma e essa pessoa me disse - estou tão apanhado por ti (acho que queria dizer apaixonado, mas sempre teve uma certa dificuldade com esse tipo de palavras) que bem podias cheirar a sopa da rabo de boi que eu nem ia notar. A sorte é que temos um sentido de humor muito semelhante e eu realmente não cheiro a sopa de rabo de boi, se não ele iria notar :-)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Foi uma Festa!


E hoje voltei ao trabalho! Foram só beijinhos e abracinhos e muita risota. Já tinha saudades de estar com os colegas e o dia correu lindamente já estou finalmente pronta para voltar a trabalhar!