domingo, 31 de agosto de 2014

Acho que o universo me está a querer dizer alguma coisa

Aqui está o email que acabei de receber para me inscrever na maratona de Lisboa, ou para mim a Mini Maratona. Já nem me lembro quando foi a primeira e única mini maratona em que participei e a inscrição foi feita no Banif, deve ser por isso que ficaram com os meus dados e agora enviam o email para nova participação.
Deve ser uma dica do universo a dizer para eu me pôr a mexer...

Após as retemperadoras férias, faltam agora 5 semanas para a Rock’n’Roll Maratona de Lisboa EDPRock’n’Roll Meia Maratona Vodafone RTP e Mini Maratona EDP. Já se encontram inscritos mais de 14.000 participantes.
 Não deixe a sua inscrição para a última e aproveite o preço mais económico até ao dia 5 de Setembro, numa Agência do BANIF.
Não descuide a sua preparação e escolha oplano de treino mais adequado às suas capacidades físicas.
Mais informações emwww.rocknrollLisboa.com
Saudações Desportivas,
Maratona Clube de Portugal
Acompanhe as novidades através da nossa 

sábado, 30 de agosto de 2014

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Nós lidamos com aquilo que sabemos

umas vezes melhor outras pior, mas lidamos.

 
Mas a dúvida, essa é uma tortura que ninguém merece.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Desejo as melhoras às alminhas

que pensam que fotos em lixeiras e fabricas abandonadas dão bons editoriais de moda.






Ou pior ainda aqueles que pensam que fazem arte quando combinam mulheres bonitas com lugares degradados. Raio de tendência esta!

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Cristovão Colombo e as nossas férias

O livro que comecei a ler a meio das férias de verão foi o Codex do José Rodrigues dos Santos, que mais não é  que um romance em que o tema principal é a origem de Cristovão Colombo.


Segundo o livro, Cristovão Colombo poderá ter nascido na vila alentejana de Cuba, tendo origem judaica.


O que é certo é que sem sequer planear passar por lá acabamos por parar para descansar em Cuba. A logistica de uma viagem com uma criança pede paragens mais frequentes, para ir á casa de banho, não deixar passar muito tempo sem comer e esticar as pernas, para a viagem não ser tão longa. Cuba foi uma paragem estratégica, que deu para comprar umas belas empadas na mercearia do Pedro e ainda ir conhecer o centro e a Igreja de São Vicente.


Outro dos pontos altos da nossa viagem foi a ida a Sevilha. Se já tinhamos passado pela terra onde supostamente Cristovão Colombo nasceu, fomos depois ter à cidade onde supostamente se encontram os seus ossos. Digo supostamente porque parece que as ossadas do Colombo deram tantas voltas pelo mundo, que é relativo afirmar que seja na Catedral de Sevilha que se encontram os seus restos mortais.


Não quis maçar muito a Margarida com os monumentos e a história de Sevilha. Para além de ser uma criança de 10 anos que rapidamente se disperssa nesses pormenores, penso que se ama Sevilha pelo seu ambiente quente, colorido e alegre.


A ideia deste passeio foi dar-lhe uma certa envolvência e permitir que a cidade se entranhasse nos seus sentidos. Será mais fácil ela voltar a Sevilha para conhecer em pormenor todos aqueles monumentos que entram pelos olhos, se tiver tido uma experiencia divertida e calorosa anteriormente.


E o que é que também faz parte da experiência sevilhana e andaluza? A sangria para mim...


E as tapas para todos. Devo confessar que foram dois visitantes renitentes a entrar na arte de tapear, pelo que tive que ser eu a escolher o restaurante e aquilo que iamos comer. Mas como se vê na foto acima, rapidamente se renderam as saladas russas, aos croquetes de camarão e as batatas bravas.


Depois vá de desmoer o jantar com um longo passeio pelas ruas quentes de Sevilha. Acho que foi o bastante para a Margarida ficar uma adepta desta terra espanhola. As luzes, o movimento na rua, música a cada esquina...


Ainda assim eu e o tio  fizemos um esforço para que esta noite fosse mesmo memorável e fizemos um passeio de charrete com um tour pelos principais monumentos de Sevilha.


A Margarida adorou e no final foi agradecer à égua o seu bom comportamento naquelas ruas movimentadas e ficou toda contente quando o cocheiro fez as apresentações da égua Margarita aos seus passageiros.


Quando chegou a casa contou a toda a familia que em Espanha fez uma amiga na piscina do hotel que se chamava Margarita e que o coche era puxado por uma égua com o mesmo nome.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Um bom mote de vida


Cinema no fds

Nada de especial...


Engraçado, mas sai de lá com a sensação que o filme foi feito à pressa.



sábado, 23 de agosto de 2014

Pobre Sherlock Holmes

É que isto do método dedutivo parece muito lógico, mas complica-se logo de seguida quando estamos a ver o óbvio e insistem que percebemos tudo errado. Senão vejamos:
 
Se sou filha da minha mãe, tenho que ter pelo menos um apelido igual ao dela, logo, se não tenho nenhum apelido igual, ou não sou filha dela ou sou filha bastarda.
 
Se quando me perguntam quem é pessoa X me apronto a dizer que é alguém que eu conheço, mas uns tempos depois já não sou eu que conheço essa pessoa mas uma prima minha, das duas uma... ou menti da primeira vez, ou menti da segunda. Mas que menti é certo.
 
Se para comprar algo que preciso, faço uma busca na net e descubro uns potenciais vendedores, vou ter com eles para ver o produto, sendo que são pessoas de quem nunca ouvi falar e de repente aparece a prima, que afinal conhece a suposta filha que não tem os mesmos apelidos que a mãe, que será neste caso a vendedora e potência outra parte do negócio para o qual ela não tem qualquer beneficio. Qual é a probabilidade da minha prima saber aquilo que quero comprar e não se lembrar que pessoa X tem para vender? E só no momento em que vou fechar o negócio aparecer com a filha dessa pessoa que não tem os mesmos apelidos?
Pois eu penso igual... não tem ponta por onde se pegue.
É por isso que não estranho que o Sherlock se meta no ópio. É que ver uma situação com nitidez e estarem a dizer que vemos mal, só lá vai mesmo com drogas!
 
 

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Diário de uma tarde de folga

Conversa, mojitos e pasteis de nata com o meu melhor amigo!

 
Estava decidida a conhecer a nova esplanada park em Lisboa que tem uma vista fantástica!

 
Para jardim suspenso, falta-lhe uma vegetação mais luxuriante, mas em compensação os mojitos são muito bons e os preços dentro do normal, para mais um sitio na moda este verão.

 
Então e qual é o assunto da conversa? Tudo, quando estão outras pessoas, mas quando somos só os dois como hoje, o assunto é sexo relacionamentos, viagens e mais sexo.

 
E depois dos mojitos e da sidra fomos forrar o estomago com os pasteis de nata da manteigaria outro novo hot spot na cidade.

 
Os pasteis de nata são tão bons quanto os de belém, com a vantagem de ter menos de metade da confusão que a casa mais tradicional de Lisboa tem.

 
E podemos escolher o nosso pastel ainda quente ou dos que já arrefeceram no balcão.

 
Aqui o conceito é exactamente o contrário do dos pasteis de belém em que a receita é secreta e nem há um vislumbre da cozinha. Na manteigaria é tudo feito à frente dos nossos olhos enquanto degustamos o nosso pastel.

O silêncio

Camilo Castelo Branco dizia e bem "O silêncio é uma confissão".



Mas digo eu que é uma confissão que não permite perguntas.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Las Ficheras

Foi num destes dias que por lá passei, após ter lido criticas favoráveis ao novo restaurante mexicano na zona do Cais de Sodré.
Não é mau, mas confesso que também não fiquei encantada com a comida. O couvert estava picante demais até para o paladar de quem almoçou comigo e que gosta de picante.



A margarita estava razoável para aquilo que se deve esperar de um restaurante onde esta é a bebida de eleição.


A decoração do espaço marca pontos, gostei muito da ideia de terem colocado as máscaras dos lutadores mexicanos emolduradas nas paredes.


A comida não é má, mas também não é surpreendente. Na verdade numa combinação de menu, decoração, serviço e espaço envolvente o meu favorito continua a ser o La Siesta em Algés.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

As encomendas e o sono

Tendo em conta que quando comprei as passagens de avião arranjei maneira de selecionar um botão que indicava que iriamos viajar com um animal de estimação e os bilhetes não foram logo emitidos por isso, sempre quero saber se nesta primeira encomenda no clube fashion as melissas chegam a minha casa brancas tal como penso que as encomendei, ou se também consegui a proeza de selecionar outra coisa qualquer sem perceber a asneira...


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Regressar ao trabalho

depois de um fds passado todo na praia entre a Costa da Caparica e a Arrábida é no mínimo perturbante!


Foi um fds perfeito entre os banhos, as sestinhas no areal a leitura e os mojitos de pés na areia!

domingo, 17 de agosto de 2014

Best feeling

Acabei de comprar os bilhetes de avião para a próxima viagem :-)


sábado, 16 de agosto de 2014

Candice Huffine

Pela primeira vez temos uma modelo com 90kg a participar no calendário pirelli.



Pois a mim parece-me que ela está com um ar maravilhosamente felino. Duvido que alguém pense no seu peso quando olha para esta foto...

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Considerações pouco religiosas

de quem acabou de chegar a casa, depois de ter ido à missa das 8.30h num feriado. Está bem que é um feriado religioso, mas não deixa de ser em Agosto e aqui a menina trabalhou ontem até a meia noite a aturar tudo quanto é cliente chato a caminho do Algarve. E "Deus" não inibe os carros que custam mais de 100 mil euros de avariarem... e os pobres clientes pensam que "Deus" os abandonou na estrada e quase ficam tentados em perguntar se podem comprar um créditos das boas graças do "senhor", que lá dinheiro para isso eles têm, o que lhes falta é tempo e educação.
E depois disto tudo durmo eu a correr para chegar a horas à missa e o que é que encontro? Gente que canta desafinada e estridentemente, Ora isto a juntar a camada de sono que tenho em cima não combina. Ainda com um olho aberto e outro fechado constatei que a quantidade de gente a tossir e espirrar naquele espaço que devia ser de silêncio (excepto quando cantam mal e se reza) é astronómica. A quantidade de ácaros e germes por metro quadrado é brutal a juntar ao calor pestilento que se faz sentir lá dentro. Assim que acabou a missa despedi-me rapidamente da família, que sem ver a minha cara de sono ainda me perguntavam se queria ir tomar o pequeno almoço ao café e corri para casa para me meter debaixo do duche. Banho tomado com essência de alfazema que é para acalmar os nervos de que fui atacada tão cedo e vou já correr para a cama e acertar contas com a almofada.
Deus me perdoe, mas tenho tanto sono...

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Carrapateira

Finalmente a Carrapateita! Este sitio nunca este lá em baixo na minha lista de cidades e vilas a visitar, mas sempre foi um local por onde passei várias vezes e nunca consegui conhecer.


Por isso foi este ano que passamos por lá para apanhar sol na Praia do Amado!


Levamos a sobrinha Margarida de férias connosco e adorou lá estar e fazer de cicerone, já que ela costuma ir de férias com os pais para a costa vicentina e já conhecia a Carrapateira.


Fomos também ver a Praia da Bordeira, que ainda me pareceu mais bonita que a do Amado.



E tal como planeado fomos jantar ao muito aguardado L colestrerol.



Tem preços de restaurante de praia, mas daquelas praias do Algarve, não das da costa alentejana...


O espaço é muito descontraído e a Margarida rapidamente arranjou com que se distrair no pátio do restaurante.


Jantamos bem e como estávamos 2 adultos com uma criança, optamos por pedir entradas e 2 pratos a dividir pelos 3. Claro que a mim me calhou provar um bocadinho da comida dos dois num prato á parte, acho que é isso que costuma acontecer ás mães :-)


A comida é boa, mas a meu ver não há qualquer necessidade de um chef a empratar desta maneira, nem a fazer subir tanto o preço das refeições, quando falamos de um restaurante à beira da estrada e que tinha fama em Aljezur por ser uma casa de tapas. O ambiente é optimo e os funcionários muito simpáticos, mas parece-me que ganhavam mais voltando ao modelo inicial da cozinha que tinham. Afinal em equipa que ganha não se mexe.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Lá em Liliput somos todos assim

Só eu é que tenho inquilinos que pagam a renda com notas de 50€ falsas, o que significa ficar sem o dinheiro ao tentar depositar! E não ter sido presa já foi bom...



terça-feira, 12 de agosto de 2014

E se fosse uma vez por mês?

Tentar conhecer um sitio novo uma vez por mês?

 
Não precisa de ser longe, que existe tanta coisa para conhecer na cidade onde vivemos, que por vezes quem vem de fora conhece melhor o sitio onde moramos do que nós próprios.
Também não precisa ser uma cidade ou um monumento, pode ser um novo restaurante ou um bar de verão. Se é novidade serve. E também não precisa de ser acompanhado. Não vou dizer que as melhores descobertas são feitas quando estamos sós, até porque nem acredito nisso, mas que estar só não nos deve inibir a alargar horizontes e conhecer novos locais.
Para o mês de Agosto posso colocar na minha chek list Loulé. Fazia parte da lista de cidades e vilas que quero visitar em Portugal e bastou uma tarde de céu nublado para ir até lá, visto que já estava em Faro. Também foi o dia em que o cartão de memória da máquina fotográfica bloqueou de vez, e de regresso a Faro, tive que comprar outro. Não tenho fotos de Loulé, que achei um mimo, mas fiquei com boas recordações.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Honra no aniversário

Este ano escolhi o Honra para o nosso jantar a dois no meu aniversário!


Pedi um menu de degustação que vinha com 9 entradinhas, mas que limitava a escolha do prato principal a 4 possibilidades.


Claro que como nenhuma dessas opções incluía bife (que é sempre o prato preferido do Sr Fofinho) o menu de degustação foi só para mim e ele pediu uma entrada à parte.


Adorei a sopa de tomate com manjericão e se tivesse que optar por uma só entrada, muito provavelmente essa seria a minha escolha.


O que aconteceu foi que acabamos por dividir as entradas do meu menu de degustação, com os ovos com farinheira que ele tinha pedido e que era uma boa porção para entrada.


Veio o famoso bife afogado no molho e com ovo em cima, tal como gosta.


E para mim, uma açorda de camarão que estava bem apaladada e cremosa.


Já não tínhamos grande espaço de sobra na barriga para a sobremesa, pelo que nos ficamos por 2 pasteis de nata e os cafés.

Em jeito de conclusão foi um bom jantar. A comida tradicional portuguesa está muito bem feita, mas o que não falta neste país são bons restaurantes de comida portuguesa. Posto isto vamos ao Honra por ser novidade, pelo glamour do espaço e pela qualidade de serviço. Pagar 90€ por um jantar para dois é mesmo uma excepção, que quase lamentei por encontrar um restaurante tão barulhento e que permite grupos imensos de estrangeiros que arrastam cadeiras, dão gargalhadas como se estivessem no circo e falam altíssimo. Esperava encontrar um ambiente calmo e intimista e nesse aspecto não cumpriram com as expectativas.