terça-feira, 30 de novembro de 2010

Apesar de transtornada


e pouco normal a maior parte dos dias, há causas de valores em mim que nunca mudam, são o meu rx!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

domingo, 28 de novembro de 2010

sábado, 27 de novembro de 2010

Boa definição

Tirando a parte do meu ascendente Leão que baralha o bocadinho as coisas, não estmos muito longe da verdade.

Este é totalmente coração, tem uma memória de elefante, um dia ele vai perguntar-lhe: "Lembras-te daquele dia que me chamaste estúpido? Era uma terça-feira chuvosa, tu estavas de branco e eu de azul. Então...?"
São meio inseguros e essa insegurança faz com que eles imitem os caranguejos, tentam andar para trás, para ver se conseguem trazer de volta os sentimentos que já passaram. É um signo muito influenciado pelo seu ascendente. Estão sempre a pôr as coisas para fora, mas no bom sentido é claro! Ou guardam tudo e um belo dia, explodem pelo motivo mais insignificante!
Mas é com ele que você vai chorar ou pedir conselhos e são excelentes amigos, sentem tudo com o coração, são extremamente leais e adoram dar colo! Se algum caranguejo tiver um negócio seria uma pousada com o nome: "O repouso dos anjos", ou alguma coisa assim. Os caranguejos são seres puramente sentimentais, se alguém ameaça entrar dentro da sua concha é preciso muito cuidado e carinho, são sensíveis e complexos, não são pessoas fáceis de se entender, mas se alguém algum dia o conseguir, será pela vida inteira e com certeza, será muito feliz.

Este signo em uma frase: `Não tenho tudo que amo, mas amo muito tudo que tenho'

O empregado de Caranguejo não está no trabalho para alimentar o seu ego? Para eles o trabalho é apenas um trabalho e um meio de ganhar a vida. Eles são trabalhadores estáveis e são normalmente extremamente confiáveis. Você poderá depender deles para cumprir prazos e fazer o que for preciso. Eles não se envolverão em brigas pelo poder nem se aborrecerão se alguém se antecipa a ele.
Eles são capazes de aceitar tal situação porque vêem-na simplesmente como um degrau na subida escada acima. A sua motivação é a segurança. Quanto mais tempo permanecem em um emprego, mais reconhecimento financeiro desejam. Como não se querem preocupar sobre como se sustentarão amanhã, precisarão de uma posição estável e sem muito risco.
Os funcionários Cancerianos podem eventualmente ficar deprimidos. Durante esses períodos a produtividade tende a cair - assim como a de todos os demais no escritório. A tristeza deles pode ser tão profunda que a empresa toda é afectada. Para evitar que isso ocorra com freqüência, os gerentes e colegas devem tentar fazer o ambiente de trabalho o mais caseiro possível, mantendo-o acolhedor e amigável. Não os pressione para revelar os seus pensamentos mais íntimos - a sua tendência nesse ponto é ser reservado e discreto, e eles podem encarar esta intromissão como uma tentativa de perturbar a sua segurança.
--(eu acho que isto é tão verdade que com a minha depressão eu sinto as pessoas que trabalham comigo também cada vez mais tristes e deprimidas)

Eterna criança, o nativo de Caranguejo encara o sexo como uma deliciosa festa, divertida e educativa. Regido pela Lua, odeia a rudez, que fere a sua imensa sensibilidade e corta o seu carinho. A entrega pode ser total, desde que o sexo seja feito com muito carinho, salpicado de juras de amor eterno, longo e bom nas preliminares. Aliás, o caranguejo dificilmente consegue separar o acto sexual do envolvimento afectivo. É como se não tivesse graça; sente-se usado e no dia seguinte sobra um gosto amargo na boca.



A verdade sobre o pior e o melhor dos Cancerianos

1- Julga-se o centro de um pequeno universo. Dá valor excessivo ao relacionamento familiar. É individualista. Fecha-se e defende-se contra a pressão que as exigências "do mundo real" exercem sobre a sua natureza. Ressente-se por ter de ceder em nome do "colectivo". Dificilmente rompe com o passado. Evita tudo o que é novo. Procura modelos em tudo.

2- Não se desfaz das recordações de infância. Não é dado a aventuras financeiras. O canceriano é bastante conservador, respeita as tradições, dá grande valor à família e ao casamento. Está sempre ligado à mãe. Procura alguém que cuide dele, que o proteja. Uma separação é sempre traumatizante. Está sempre à procura de um lar, de uma família.

3- Abusa da chantagem emocional. Faz com que as pessoas se sintam culpadas por magoá-lo. Na verdade, o que eles querem é acariciá-las e reconfortá-las, depois de demonstrarem estar arrependidas do que "fizeram" . Nunca tem iniciativas directas. Como o caranguejo, não vai abertamente ao que quer; primeiro dá uma volta em redor, como se fosse na outra direcção. Acaba por alcançar os seus objetivos. Tem boa memória. Não é vingativo. Adora guardar fotos, cartas, bilhetes... É fiel e amoroso. É capaz de ter vários amores ao mesmo tempo, mas sabe que essa é uma jornada perigosa.

Dormir contigo(Luis Miguel)


É sempre bom, mas há alturas em que faz mais falta que outras.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Prioridades e opções


Está um frio que não se pode e o que eu precisava mesmo era mesmo passar o fds a dois na caminha cheio de miminhos e esquecer tudo quanto há de mau até 2f. Mas infelizmente há prioridades mais importantes que aquilo que me faz falta e que obrigam a fazer outras opções. Prioridades diferentes das minhas. Por isso eu vou ter um fds bem diferente deste, porque a mim nunca me dão opção de nada.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Dia de Aniversario


Hoje o papa Alfredinho faz anos! Este ano fiz uma maldade e andei a aterrorizar o pai a dizer que lhe ia dar um cão como prenda de anos, até dei a escolher se queria castenho ou as pintas. E ele tem andado desconfiado que eu vou trazer outro animal para casa, já nem deve dormir de bem... Mas afinal o cão é em forma de bolo de aniversário. Surpresa para o 66 aninhos!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Isso é que não!

Beijinhos e abracinhos enquanto estão na fila do supermercado para pagar acho bem. É uma optima maneira de passar o tempo. Agora aquilo que eu vi hoje é um bocadinho demais... espremer borbulhas da cara e da nuca do namorado enquanto as outras pessoas estão a pagar as compras? Nojento assistir...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Sobre ser razoavel

Ora eu hj já tinha recusado um convite para sair (e feito de vêspera) porque tenho a semana cheia de coisas para fazer porque o pai faz anos, porque ando de rastos a tentar resolver uma depressão a evitar tomar os medicamentos. Sai do instituto de espanhol depois de ter ido congelar a minha matricula que foi das coisas mais dificeis que tive de fazer porque gosto muito do curso mas simplesmente não estou em condições para ficar em Lisboa até as 22h. Depois de tudo isto apanhei 2h de trânsito na ponte, acabo de chegar a casa e outra pessoa também me convida para sair e eu digo que não posso, estou cansada, acabei de chegar apanhei trânsito.... por ai adiante e ainda discutem comigo a perguntar qual transito? e que é só um café... e que eu é que tenho má vontade. Bolas toda a gente sabe que estou doente, é só abrir o blog e fica informado, quem trabalha cmg e me vê todos os dias também sabe e depois só me arranjam cenas destas como se eu estivesse bem! Tal como na empresa perguntarem porque é que não vou ao jantar de Natal? Só podem estar a gozar...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

E ainda não terminei

A sorte dela é que eu este ano não vou fazer lista de presentes para o Pai Natal. Se não colocava lá uma camisa de noite La Perla que era para aprender o que é bom para a tosse! Hunnnfff

A vigésima quinta melhor maneira de me irritar

A minha mãe obrigou-me a deitar fora 2 camisas de noite que me ofereceram porque achou que estavam cheias de energias negativas e que isso me fazia mal! (sim pq a depressão é uma coisa demoniaca, não é um simples esgotamento do nosso cerebro). Eu até gostava das camisas e até me faziam falta, mas para não ter mais chatices aqui em casa, fiz-lhe a vontade e deitei as camisas fora. Óbvio que não fiquei com o ar mais feliz do mundo. Hoje chego a casa e tenho em cima da cama uma embalagem com uma camisa amarelo canário que foi buscar á loja dos chineses. Se há coisa que ela sabe que me transtorna são compras nas lojas dos chineses. Aliás há mais de 4 anos que não ponho os pés numa e ela além de me ter feito deitar fora algo que eu gostava ainda me compra uma camisa numa loja dessas? Como o ambiente aqui em casa não anda muito famoso, só lhe disse que a ia pôr a lavar, mas ela n sabe, mas eu nunca a vou usar. E só não a estraçalhei toda e enfiei tesoura por tudo quanto era tecido, não fosse ela chamar o exorcista!

domingo, 21 de novembro de 2010

Have You Met Miss Jones?


Espero que volte a passar este natal.
É que eu estou a viver um crise de miss jones, mas quando vivemos sós e fazemos todos estes disparates só o gato e os cães é que notam e se calhar acham divertido! Os pais já não...
Ok desta vez estou um bocadinho pior e faço as mesmas asneiras que ela tanto como buscar conforto na comda e depois sentir-me super triste por ter engordado imenso, vestir daquelas cuecas que só deus e eu sabemos que existem no fundo da gaveta, experimentar verdadeiros atentados culinários, ter mais tendência a fumar ou a beber (resume-se só as 6f) que é para iniciar bem o fds, arranjar prolemas na empresa porque já estou por um fio e não me custa nada dizer a quem é idiota que o realmente é. Passar os fds vestida com roupas estranhas ( e atenção que ainda n fui as lojas de desporto comprar aqueles polares de varias cores que se conjugam sempre com as mesmas calças de ganga e botas de pelo e que nos faz sentir a 5º maravilha do mundo mesmo estando um trambolho). A minha depressão tem um nome, cise de miss jones. E depois fico ainda mais transtornada quando me dizem és incrivel, preciso da tua ajuda, tu és um exemplo para mim, és tão bonita tão gentil e forte de espirito e eu sorrio (acho que agora já nem o faço) e penso se eles soubessem que todas as manhãs para me levantar saio quase de gatas da cama e tenho crises de choro incontornaveis e inexplicaveis só de pensar como vou conseguir terminar o dia? E se alguém tem uma palavra mais rispida comigo a desgraça que é? Passei de uma super sensivel, para uma hiper sensivel. Neste momento já me parece que ninguém tem culpa pelo que esta a acontecer. Simplesmente esgotei-me cansei-me, dei tudo o que havia dentro de mim e não resta mais nada para dar. E já nem sei se prefiro ajuda e companhia ou se isolar-me e ficar a curtir a minha crise de miss jones sozinha. Não me sinto bem cmg, não me sinto bem com ninguém.

Lá vou eu a caminho do dolce vita

E fico sempre entusiasmada quando lá vou, porque há montes de lojas com coisas diferentes e apetece-me comprar tudo.
Mas desta vez não é bem assim. Não vou entusiasmada. Vou porque tenho o laser marcado para hoje e porque os pais tb vêm, que dia 25 é aniversario do papa e é preciso comprar prendinha. Mas a mim já n me apetece comprar nada.
Não consigo voltar a emagrecer e não gosto de me vêr vestida com nada. Por mim andava de chinelos e pijama o dia todo. Era um bocadinho vaidosa e perdi o gosto por me embonecar, maquilhar, cuidar de mim. Está frio lá fora já nem me apetece sair com os cães, esta frio no meu coração. E no fundo não preciso de nada. Tenho o armario cheio de roupa e sapatos por estrear a espera do passeio certo e da pessoa certa com quem usar. São as armadilhas que a minha mente me esta sempre a pregar. Tenho alturas em que olho para trás e me lembro dos momentos felizes que já vivi e em que sabia quem era e hoje já não sei quem sou. E para terminar esta conversa da depressão, que há mais que fazer, aqui fica uma ideia que todos deviamos ter em conta. Aquilo que nos faz realmente falta? A mim é certo que é o sofá e já fazia há algum tempo calha que o vou comprar agora porque aproveito o subsidio de natal. Mas de resto não preciso de nada e tudo quanto gosto são caprichos de classe média alta. Este ano não vai existir carta para o pai natal com o rol das prendas, porque ainda existem muitas pessoas que os únicos pares de sapatos que têm são estes.

sábado, 20 de novembro de 2010

Em vigilânca


Quando entramos em depressão e temos a sorte de perceber rapidamente o que se esta a passar procurar a cura é mais facil. Porque a maioria pensa que a depressão é uma saida facil, achaques de quem não tem mais nada que fazer e a depressão é uma doença muito grave. A minha esta sobre vigilância até porque decidi deixar de tomar os comprimidos e tentar assumir o controlo sozinha. Mas não é facil e fazer o caminho só ou com pessoas que ainda nos criam mais problemas dificulta muito a tarefa. Mas também começamos a entender certas coisas que sempre nos pareceram estranhas nos outros. A mim por ex sempre me fez confusão as pessoas com a mania das limpezas. Tudo aquilo me parecia uma obssessão e não percebia como se podia tornar algo de tão importante. E eu hoje passei o dia todo nas limpezas, fiz 4 maquinas de roupa, estendi e apanhei, arrumei. Limpei o meu quarto com mudança de lençois sacudir tapetes, daquelas limpezas á séria ( e nem sei se precisava, deve ter sido a desculpa de não estar a chover) e ainda limpei o escritorio todo. Só terminei agora e só parei para almoçar e tenho uma sensação fantastica dentro de mim. Porque já não tenho na cama os mesmos lençois em que tantas vzes chorei, nem o mesmo pô que se instalou durante esses dias. Porque a roupa esta arrumada e lavada, mesmo que eu n tenha qualquer vontade de sair e me arranjar. Porque o escritorio estava um caos com umas coisas por cima das outras porque eu estava tão infeliz que tanto me fazia onde ou como as coisas estavam. Hoje percebo melhor quem tem a obssessão das limpezas. Pode ser realmente uma terapia.

Tipos de POBRE


Pior mesmo só probre de espirito...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Tentação


O sofá do meu escritorio está mesmo a precisar de reforma! Há 5 anos quando redecorei a sala já o tinha e como ele é azul não se enquadrava bem nos meus planos de tornar o meu escritorio numa tenda marroquina. Mas os anos passam e os gostos mudam e embora continue a gostar desse tipo de ambientes, agora apetece-me algo mais soft mais feminino e delicado. Vou mudar o sofá e um pouco da decoração do escritorio. Tirar o amarelo das paredes e pintar de casca de ovo e comprar este lindo sofá como prenda de natal para mim própria :-)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Pelo sim, pelo não...


O coração está a sarar aos poucos mas pelo sim pelo não no meu tlmvl ainda aparece JG quando ele liga, em vez de Amor. Ainda há por aqui um remendo.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

The Beatles: All you need is Love


E hoje o mundo já me parece um lugar mais quente e feliz! Fazer as "pazes" com o meu sapatinho muda tudo :-)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Assim eu me sinto


Como eu a entendo. Não sei onde vou buscar forças para continuar a sair de casa e ir trabalhar...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A caminho do médico


Lá vou eu novamente... ele vai olhar para mim e perguntar: Susana como te sentes?
Acho que nem é preciso responder ainda n há comprimidos m+agicos para a felicidade e não consigo sair do buraco. Mas tenho uma sugestão, que tal colocar-me a dormir durante 3 ou 4 meses? Hibernar como os ursos e acordar num lindo dia de primavera onde tudo corre bem?
Será que ele vai nessa?

Pouca sorte


De todas as vezes que andei de comboio quando ele se aproximava da estação eu abria a janela e punha a cabeça de fora para te vêr a minha espera no apeadeiro. Mas tu nunca estiveste, nunca te vi... Será que tomei o combio errado ou o apeadeiro é que não era o certo.? Sim porque tu disseste que estavas lá á minha espera e tu és um homem de palavra nunca faltas com aquilo que dizes! Desde que seja verdade...

domingo, 14 de novembro de 2010

Eat Pray Love- I'm Having a Relationship with My Pizza


Há 15 dias que estou a ter em relacionamento destes. É com a comida e com a cama.

sábado, 13 de novembro de 2010

Ridicula

Ouvi o tlf tocar e pensei que fosses tu. Era o meu amigo Carlos a perguntar por mim, se me sentia melhor e se queria ir tomar um café. E eu não tive forças para me levantar tomar banho vestir e tentar pôr a melhor cara e fazer companhia. Lamentei, mas não me sentia bem, Talvez na proxima semana. Lamentei que fosse ele a preocupar-se cmg e não outro. Voltei para a cama a pensar pelo menos alguém se preocupa. Já não é mau :-)

Boias de salvação


Todos nós precisamos de algumas de vez em quando. Então quando não temos âncora e já estamos em mar alto há demasiado tempo essas boias fazem mesmo falta. Ás vezes até parecem pequenos milagres! Quem nos dá a boia e faz o caminho connosco? Os amigos, aqueles que nos amam, aqueles que não nos querem vêr mal, mesmo quando não têm responsabilidade nenhuma com aquilo que se está a passar. Eu sou uma dessas amigas e de vez em quando apareço com uma boia ou até mesmo um barquinho de borracha onde cabemos os dois. Mas as minhas ajudas não trazem cartão nem discurso. Simplesmento apareço e faço aquilo que posso, e porque quero, nem estou a espera que o peçam. Acho fantástico quando alguém que nos vê em mar alto dizer com toda a convicção - só podes perder o pé quando estás junto de mim porque eu sou bom nadador e agarro-te.
Pois tenho dentro do meu armário um vestido lindissimo por estrear, umas botas que ainda n sairam da caixa e um chapeu que só uso 1 vez por ano, na chapeleira.
Hoje e até porque eu já tinha falado sobre isso há uns 15 dias atrás seria uma boa altura para lançar a boia. Susana veste-te anima-te e vamos juntos á golegã que sei que te vai fazer feliz! Quem sabe nem precises de tomar os comprimidos, achas que há motivos para estares deprimida? Eu estou aqui de mão dada ctg, não me vês, não me sentes? Bela boia de salvação que seria e nem era preciso adivinhar porque eu já tinha dito que gostava de ir. Alguém não me ouviou. Quando estamos em mar alto, quem esta em terra não percebe o que dizemos.
Como referi anteriormente: vestido guardado no armario, botas dentro da caixa e chapeu na chapeleira.

A visita do Passaro


Esta noite por volta das 3 da madrugada um pássaro veio visitar-me. Piou á minha janela até eu o fazer entrar e aninhar-se do frio que tinha. Sim, todos vós sabem que eu detesto bichos de penas, mas aquele era diferente, não no aspecto mas no frio que sentia. Não era o frio da noite nem a humidade que se sentia lá fora que lhe enregelava os ossos. Vinha de dentro esse frio e essa solidão e eu aninhei o pequeno nos meus lençois e deixei-o contar a sua história, até adormecer de novo.
Não me lembro se história começou por era uma vez, mas o que é certo é que aquele pássaro de penagem linda e exuberante se sentia muito só nessa noite. Em tempo teve um dono, tanto quanto percebi o mais extraordinario dos donos, o mais brilhante e eloquente de todos. O pássaro vivia feliz. Tinha uma gaiola de ouro e o dono sempre que possivel colocava alpista e água. Os pássaros são criaturas simples, (tanto quanto pude observar o que esta noite apareceu, pareceu-me que o espaço que ocupa o coração é maior que o do cérebro) pobre bicho... Não vai ser muito feliz, dizem que devemos ser recionais não é asim? Bom ainda assim o pássaro era feliz. O dono aparecia de vez em quando, conversava alguma coisa com ele (palavras que o pássaro retinha com muita atenção porque toda a verdade de uma vida podia estar em alguma daquelas frases), passava a mão pela sua cabeça dava um jeito ás plumas e dizia-lhe que era um pássaro lindo e que sentia sempre muito a sua falta. O pobre rejubilava de alegria quando ouvia o dono dizer isto. Nem ficava triste por ele não lhe dizer que era o pássaro mais bonito e espcial que alguma vez tiverá, que o amava e que não poderia viver sem ele. - Que querem que vos diga? - Era uma passaro simples, algumas migalhas bem jogadas e ele ficava de estomago cheio. Mas um dia o pássaro começou a reparar que todos os seus amigos saiam aos fds com os donos. Iam com eles nos ombros comprar o jornal o beber o café e até se comprimentavam uns aos outros. Se calhar não comiam a melhor alpista, suplementos para as penas? Nem vê-los, mas aos fds era certo que iam descobrir o mundo com os seus donos. Este pássaro que aqui entrou esta noite adorava a sua gaiola de ouro, estava seguro lá e ia tendo alimento e um bocadinho de conversa, mas e vêr o mundo com o dono? - Um dia quando o dono chegou a casa ganhou coragem e abordou, porque é que nós nunca saimos aos fds como os outros? Também quero, não gostas de mim? Não me queres mostrar? O dono não gostou muito da conversa mas n discutiu, disse-lhe simpesmente, então um dia saimos, se te faz feliz. Mas quando, quando perguntou o pássaro? - Humm, no próximo fds parace-te bem?
E o pássaro cantou as mais linda melodias toda a semana, saltou de poleiro em poleiro louco de alegria e quando alguém lhe perguntava, o porque de tanta euforia ele simplesmente piava, o meu dono gosta de mim e vamos sair no próximo fds, é certo ele prometeu e nunca falha!
Pobre pássaro... passaram 3 anos e ele dentro da gaiola á espera desse dia. Não resmungava muito sabia que ás vzs o dono desaparecia e isso ainda era um sofrimento maior. Mas um dia o pássaro ganhou coragem e berrou desalmadamente toda a noite a dizer que assim não podia ser. Não queria mais aquilo para si, gostava de ser como o pássaro da vizinha Graciete que passeava orgulhosamente no seu ombro todos os fds!
O dono não lhe achou graça, pensou este pássaro está louco se pensa que vou andar com ele por ai. Isto não passa de uma birra de um capricho. Vou deixar acalmar o bicho a ver se tira essa ideia da cabeça. 2 ou 3 semanas devem chegar para o acalmar, e o dono desapareceu. Colocou a gaiola na mesa da cozinha e nem luz, nem água nem alpista. Só mesmo o silêncio e a gaiola de ouro. O passáro ainda piou 2 ou 3 dias, mas ninguém o ouvia, o dono não vinha. Estava fraco, estava triste, sem saber o que fazer. Desiquilibrou-se e caiu do poleiro. Deixou-se ficar quieto no fundo da gaiola a tentar perceber se havia movimento lá fora, mas estava completamente só. Foi definhando dia a dia. Os amigos que passaram deram-lhe umas coisas para ele se animar e alimentar e ele meio tropego e só ainda numa patinha chamou o dono. Piou dois dias e ele veio. Olhou para o pássaro e pensou, isto acalmou o bicho, olha que manso... bom tem um ar estranho mas eu abro a janela e com um bocadinho de ar fresco e mais umas migalhas ele lá se recompõem. Mas o pássaro desta vez não piou nem cantou, chorou. Disse que se sentiu só e desesperado e que perdeu o rumo sem saber do dono. Bom o dono acabou por perceber que não tinha sido claramente a melhor opção, mas não lhe disse - Desculpa, nunca te quis magoar ou deixar só. Pensei que era uma boa solução mas enganei-me. Anda cá, vamos lamber juntos as feridas, porque eu te amo e és o passarinho mais importante para mim, ás vezes esqueço-me como és delicado e cais do ninho. Em vez disso a resposta foi - nunca pensei que o efeito fosse este, cais-te e é lamentavel, mas é de tua responsabilidade colocares-te direito e de novo no poleiro. Só tu podes cuidar de ti. Responsabilidade dos outros por te deixarem as escuras quando te deviam amar e abanarem a gaiola? É o que acontece em todos os lares todos os dias. Tu és um pássaro e nem especial és, és apenas único porque não há ninguém igual a ninguém. Agora recompõem-te e se precisares de alguma coisa diz, sim porque eu não te vou perguntar o que posso fazer por ti, afinal és só um pássaro.
E o pasarinho endireitou as patitas e subiu para o ninho. Ficou quieto e congeminou. Sou só um pássaro como os outros e tudo isto é normal e é a vida. Fazemos mal uns aos outros e nem desculpa ouvimos. Hunnnfff será que as grades da gaiola são de ferro ou de ouro? E será que elas estão mesmo lá? E se eu sair e voar sozinho? Afinal o meu dono nem vai dar conta se lá estou ou se preciso de algo, sou um pássaro como qualquer outro, não o mais bonito, não o mais amado, não o mais desejado. Um pássaro substituivel. Vou sair da gaiola porque percebi que ela não tem grades e vou buscar aquilo que preciso para me alimentar esta noite. Carinho compreensão, que me limpem as lágimas e me digam que tudo vai correr melhor, que me aninhem e me protejam no sono doce. Acho que foi por isso que o pássaro bateu á minha janela esta noite, ou então tudo não passou de um sonho...

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sobre a verdade

Se tudo tivesse corrido bem, hoje a esta hora já teria tido a conversa que tanto preciso ter. Mas não, vou ter que esperar por amanhã, é só mais um dia e a fazer figas para que não morra o piriquito ou a tartaruga e ele mais uma vez fique indisponivel. E sobre a conversa que tanto preciso de ter a minha amiga totobolinhas hoje disse-me:
- Sabes, ontém fui para casa a pensar na conversa que vais ter. Se eu fosse a ti não dizia a verdade, pelo menos toda. Acredita em mim Susana, que sou mais velha que tu e já passei por uma relação assim, se lhe contares ele vai mudar a opinião sobre ti e passar a olhar-te com outros olhos. Acho que deves definir as coisas mas não chegues a tanto sobre ti, tens que te salvaguardar.
Isto é a voz da experiência e a amizade que ela me tem. Não há dúvidas que quer o melhor para mim. Aliás quando lhe contei o que se passava perguntou-me logo se eu tinha um plano B para a minha vida, mas eu não sou totobolinhas, sou Susana. A Susana não sabe o que são planos B nem atalhos quando se trata de verdadeiro Amor. E a Susana não sabe falar sem ser a verdade sobre si. Se ás vezes minto? Claro que sim como qualquer outra pessoa, mas minto sobre os outros, minto para não magoar dando uma má opinião ou oculto. Muitos o fazem, eu também. Agora sobre mim... como posso eu mentir? Posso conter... até o tenho feito e não me tem levado a lado nenhum... mas mentir? Sou o que sou e sinto o que sinto, como se mente sobre isso? E depois como se vive com mentiras? É verdade que quem não ganha o hábito de guardar mágoas também não carrega o peso de perdão, não é o mesmo com a mentira?
Contra todas as opiniões e partindo do principio que o piriquito não morre e o cacilheiro amanhã não afunda, eu vou dizer a verdade. Só ela nos liberta mesmo que doa, e doer... já doi há muito tempo.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Adriana Calcanhotto | Eu assim sem voce (SP)


Assim tem sido, mas a partir de amanhã poderá deixar de ser...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Nós sabemos que não estamos bem...

Quando a minha colega mais proxima volta de férias passados 15 dias e me diz:
- Meu Deus, tu não estás bem! Que se passa ctg? Pareces um fantasma... o teu olhar está vazio, pareces morta!
....
Eu pensei que a degradação só se notava por fora, afinal algumas pessoas já a conseguem vêr por dentro.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Desta vez o Pirilampo apagou-se


Fui pintar as unhas de vermelho, passei pela loja dos vestidos que adoro, conversei com uma grande amiga e nem assim brilhei. Desta vez o pirilampo apagou-se.
Não sei se esta mesmo morto ou apenas adormecido para não sentir nada, mas o certo é que já nada o faz brilhar. E o pior é que desta vez parece que não sei voltar a vida sozinha, até porque simplesmente não me apetece cá estar. Talvez precise mesmo de ajuda de um profissional. Não vejo luz ao fundo do tunel, sinto que eu sou o próprio tunel fechado acabado e sem qualquer sentido de existir quando não se vai para sitio nenhum nele.

domingo, 7 de novembro de 2010

Um fds cheio de miminhos

Depois da dolorosa ida ao mecânico para fazer a revisão do meu bolinhas e mudar os pneus traseiros, tive que me recompor do susto da conta. Não havia nada a fazer se não deixar lá quase metade do ordenado e ir afogar as mágoas em ginjas. Fui sair com o meu amiguinho Carlos que foi super querido e mostrou-me um sitio que adorei: o Cais Ferroviário. Com uma vista fantástica sobre Lisboa e um ambiente descontraido, ficamos no terraço tapados com uma manta e a beber das ginjas mais doces que já provei. Aqui ficam as fotos.
E como uma desgraça nunca vem só no domingo á tarde resolvi ir com uma amiga vêr a expo decor no chiado e quando chegamos lá batemos com o nariz na porta que estava fechado sem motivo aparente. Resultado? Compras no chiado, para não dizer que foi uma ida em vão e um lanche super calórico no amoroso Quinoa que descobri na rua do Alecrim. Mais uma vez aqui ficam as fotos para deixar água na boca.


sábado, 6 de novembro de 2010

Sobre os labregos e os outros...

Li isto no blog Alugo-me para rir e fez-me sorrir e pensar:

Um bronco não tem desculpa para se sentir miserável e muito menos tem o direito de reclamar para si um par, feminino ou masculino, para infernizar e menorizar de forma a se sentir melhor. A Susana, que a terra lhe seja leve como hélio, deixou-se morrer coitada. Conheceu o seu carrasco num dia qualquer e deixou-se anilhar.

Coitada.

Como escreveu Adam Langer, em todos os bares de toda as cidades de todos os países em todos os continentes desde o início dos tempos há um idiota deprimido que traz agarrada ao seu braço uma mulher impressionante e delicada e todo o bar pára a olhar para o casal a imaginar como uma mulher daquelas foi acabar com um idiota daqueles.

- Pobre Susana... isto nunca me aconteceu mas poderia ter passado por lá. É que existem labregos que apesar das suas limitações são amorosos, carinhosos, fiaveis, disponiveis e nem por isso nos tornam menos fabulosas por conviver com eles. Por outro lado existem os homens extraordinários que raras vezes nos fazem sentir amadas, dedicação e companheirismo são palavras dificeis de encontrar nos seus dicionarios e estabilidade zero.
Entre o muito mau e o péssimo venha o diabo e escolha. E depois começamos a chegar á conclusão de que se queremos estabilidade e preservar o nosso amor próprio se calhar o melhor mesmo é ficarmos sozinhas.
É que a história dos homens extraordinarios é mais ou menos como a do Pai Natal, talvez existam ou talvez não.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Sobre o fds prolongado





A verdade é que tenho andado estafada, entre a falta de tempo e a nova doença que "arranjei" não tenho conseguido escrever com a mesma frequência. Ainda assim o fds prolongado foi muito bom e consegui descansar e fazer uma série de coisas que já tinha vontade há algum tempo. Voltei as massagens (abençoadas mãos da minha querida Zeli que tão bem cuida de mim), dormi muito, li, caminhei com os meus amores de 4 patas e tirei um dia para passear em Cascais. Aqui ficam as fotos de uma tarde passada entre o museu Castro Guimarães e a Casa das Historias de Paula Rego. Ah e um gelado no Santini para voltar mais doce.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010