segunda-feira, 26 de março de 2012

Sensibilidade e bom senso

Não é tudo quanto é necessário, mas já é o suficiente para tornar os dias, os nossos e os dos outros mais suportaveis.
O principio é simples quanto ao bom senso, se não tens nada de bom para dizer - simplesmente não fales!
A sensibilidade também serve para entender que o que não é bom para mim, também não é bom para os outros. Ser bom colega não é só ajudar quando há muito trabalho, mas saber dividir quando as melhores tarefas começam a escassear e o trabalho mais chato se avizinha. É mais fácil deixar para os outros aquilo que não queremos fazer, mas se calhar eles também não gostam...
Das coisas que mais me aborrecem é estar 3 dias fora da empresa e assim que volto a primeira coisa que me dizem é - Ainda bem que voltaste, porque ninguém tem dividido trabalho com a colega X. Ontém estava a chorar á hora de almoço, porque é sempre ela a fazer o que os outros não querem, só tu é que divides trabalho por todos e quando não estás dá nisto.
Sensibilidade para que te quero?

O mesmo serve em relação a certos comentários perfeitamente desnecessários. Se alguém está mais em baixo, mais cansada, deprimida, emocionalmente desgastada, acreditem que essa pessoa sabe! É a maior idiotice chamar a atenção para isso, tornando o outro mais miseravel ainda. Acreditem que esse alguém pode estar em baixo, mas não está senil para que o relembrem sempre da sua situação, até porque se estivesse a primeira coisa que esquecia era o caminho para o trabalho!

Resumindo... se não têm nada de agradável para dizer, então por favor não digam nada.

2 comentários:

Estagiário disse...

Concordo! Mas o teu post faz-me lembrar um comentário que uma certa senhora de nome S fez hoje: « ora... a única forma que têm de esquecer a vida miserável que têm é acharem que alguém está mais miserável do que eles »

Ao Virar da Esquina disse...

É isso msm querida C, vai no seguimento dessa conversa matinal.

Beijinhos