domingo, 25 de março de 2012

About last nigth

Já tinha saudades de uma noite assim em Lisboa. Uma noite amena de primavera em que conseguimos arranjar logo estacionamento no largo do carmo e tivemos meia hora livre antes de iniciar a peça de teatro para cada um fazer aquilo que quer. Sr Fofinho ficou num café a ver a primeira parte do jogo sporting feirense (todos aqueles que me diziam que ele não trocava uma noite de futebol por uma noite de teatro... estavam enganados!). Enquanto ele matava o vicio da bola eu fui passear no chiado. Fui ver as montras, andar no meio de tanta gente, descobrir mais um bom sitio para um brunch tardio e tentar-me na Bertrand. Adoro a Bertrand do Chiado. Dei por mim a pensar que nunca li Murakami... se calhar tenho que comprar um livro dele na feira do livro este ano. Lembrei-me também que já há 3 anos que não vou á feira do livro em Lisboa, contudo em 2010 fui á do Porto e não sei bem porquê só comprei guias de viagem e um livro sobre ensinamentos de Buda para oferecer á amiguinha Sofie (agora comadre). Depois fiz olhinhos ao - Filho de Mil Homens do Valter Hugo Mãe. A seguir aquele do Jonathan Franzen - Zona de Desconforto que também me parece ser uma boa leitura. Saí de lá de mãos vazias e a pensar que deveria já ter iniciado um mealheiro para comprar livros na feira tal como fazia quando era adolescente. De qualquer forma este ano volto lá, mesmo que só compre 1 ou 2 livros. Vou convidar a Catinha para ir comigo, é um bom programinha para duas devoradoras de páginas!
E entre estes pensamentos terminou a minha meia hora de passeio e lá fomos os dois para o teatro Trindade. Eu satisfeita com a minha voltinha, ele contente por ter visto o golo do Sporting. O teatro Trindade é lindo, aconchegante, torna mais próxima a relação dos actores com o público. Foi a primeira vez que lá fomos e vamos voltar de certeza.
Peça sem intervalo que mesmo assim levou mais de duas horas fantásticas (vai estar em cena até 8 de Abril e vale mesmo a pena assistir) e que nos deixou culturalmente saciados mas também com muita larica já que nenhum tinha jantado.
Quando saimos havia uma série de restaurantes e cafés abertos, uns mais animados, outros mais sofisticados como aquela zona pede. Ainda assim sou menina de hábitos tradicionais e lembrei-me que era boa ideia irmos entupir as veias de colestrol com os fritos e as bifanas da Beira Gare junto da estação do rossio. Perto da meia noite lá estavamos nós com duas colas, 2 bifanas, chamuças e rissois. Faz tão mal, mas sabe tão bem!
Adoro noites destas...



2 comentários:

menina lamparina disse...

Estas noites sabem tão bem... :)*

Ao Virar da Esquina disse...

Pois sabem Lamparina! E estão quase a chegar as noites de passeio pela costa com um gelado na mão!