quarta-feira, 24 de maio de 2017

Se fossem meus amigos

Eu tenho 3 amigos/amigas. Tudo o resto são conhecidos de quem gosto mais ou menos. Para manter os níveis de amizade que eu penso serem os mais verdadeiros e disponíveis não podemos ter muitos amigos, se não a qualidade do serviço de amizade baixa significativamente. Eu sou aquela amiga que já comprou uma passagem de avião de um dia para o outro para ir ter com quem precisava de mim. Que já passou 1h fechada numa casa de banho pública  por causa de um ataque de pânico. Os dois sentados no chão entre a retrete e o lavatório, deprimente eu sei. Que já saí da cama de madrugada para ir buscar alguém a esquadra. Que foi a primeira pessoa a receber um tlf para saber que um amigo tinha sida, quando tinha acabado de ir buscar os exames ao laboratório (graças a Deus afinal não tinha e foi um erro de etiquetagem, mas até passar o susto estive lá). Também fui convocada para um jantar em que a amiga estava grávida e tinha medo de contar ao marido, por isso achou boa ideia dar-lhe a noticia comigo à mesa quando a gravidez já ia nas 12 semanas. Convenhamos que só dá para fazer isto por 3 pessoas. Se fossem 10, garanto que não era boa amiga de nenhum. Isto para dizer que os amigos de Sr Fofinho não são meus amigos, são conhecidos. Um casal com o qual nos relacionamos está em plena crise e eu daria bons conselhos se fossem meus amigos mas não me quero meter. Fica de ressalva também que a este blogue só têm acesso esses meus 3 amigos 1 pessoa da minha família, algumas pessoas do meu passado que nem sempre transitaram para o presente e Sr Fofinho que normalmente só se lembra que este blogue existe quando lhe digo que há uma lista de sugestões de presentes que deve consultar. De resto são todos ilustres desconhecidos. Por isso posto o sururu que ela esta a causar no instagram já há vários dias com indicações tão contraditórias, mas que todas indicam que ele fez algo de errado mas não se sabe bem o que foi, a ele eu diria que não se preocupasse porque...


E se ela tem dramatizado! Quanto a ela e se fosse minha amiga já lhe tinha dado um apertão no braço e dito - a tua mãe não te ensinou que assuntos privados não se tratam na esfera pública? Fecha já essa matraca que por muita razão que possas ter estás a permitir que todos questionem e opinem. Vais ficar surpreendida quando descobrir o número de pessoas que não vão estar do teu lado, por muito mal que ele se tenha portado.

Uffa! Ainda bem que não são meus amigos!

2 comentários:

Cynthia disse...

Há coisas que não consigo compreender, como a necessidade desesperante que algumas pessoas têm de expôr em demasia a sua vida privada. Só as pode prejudicar, raramente ajuda, porque a maioria das pessoas só pretende meter-se e não ajudar verdadeiramente. Quanto a ter poucos amigos, same here!

P.S. - Nomeei-te numa tag no meu blog :)

Susana Correia Dos Santos disse...

Ah Cynthia vou já ver esse tag.

Beijinhos