domingo, 6 de maio de 2012

Viagens na minha Terra - Melgaço

Aqui temos uma nova rubrica no blog. Todas as terras e cidades que visitar em Portugal e Ilhas vão ter uma mini reportagem aqui neste espaço. Se é algo que procuro em outros blogs e que por vezes me dá indicações muito interessantes porque não usar também o meu blog com esse fim?
Aqui fica a primeira delas, Melgaço.

As últimas férias foram passadas no Minho, no concelho de Monção, terra da familia do Sr Fofinho que tão bem nos acolheu. Gostaria de ter começado esta rubrica por esse local, mas ainda não tenho todas as fotos comigo, contudo em Melgaço usamos apenas a minha máquina fotográfica.


Tive a sorte de puder visitar Melgaço durante o dia e à noite, na festa do vinho Alvarinho que se realiza todos os anos no último fds de Abril. É uma vila pequena que se consegue visitar numa tarde, embora tenha vários pontos de interesse. O Castelo de Melgaço foi construido no reinado de D. Afonso Henriques por volta de 1170. Foi este monarca quem concedeu a sua primeira carta de foro. Esta zona estava muito à mercê das tropas leonesas e necessitava de uma protecção mais eficaz que aquela que era facultada pela pequena fortaleza na zona mais setentrional da penedia onde mais tarde seria erigida a torre de menagem. Ainda assim não se revelou suficiente tendo sido necessaria a construção de uma cerca defensiva durante o reinado de D. Sancho II.



A Câmara Municipal investiu em dois museus muito originais e pertinentes na história da região, o Espaço Memória e fronteira é dedicado à preservação da história recente do concelho, relacionada com o contrabando e a emigração, este Espaço conduz o visitante pelas histórias da História. Possui uma sala dedicada ao contrabando e uma rampa, ao longo da qual se vão retratando os diversos momentos relacionados com a emigração, como as causas, a preparação da viagem e a viagem, a chegada e vivência no país de acolhimento, sem esquecer os reflexos da emigração no concelho. E o Museu de Cinema de Melgaço – Jean Loup Passek, que tem por base o espólio coleccionado ao longo da vida pelo francês Jean Loup Passek e doado ao Município, conta com duas exposições, uma de carácter permanente e outra temporária, distribuídas pelos dois andares do edifício.

Não se está mesmo a ver que é uma cena do filme serenata à chuva?

Não esquecer fazer uma visita a esta casa




E durante a noite temos isto...
(não reparem nos olhinhos pequenos nem na cor das bochechas... é que a casta Alvarinho é considerada por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas. A sua raridade, a baixa produção e principalmente o facto de dar orige a vinhos únicos em termos de aroma e sabor, leva a que as uvas Alvarinho sejam as mais valiosas e mais bem pagas de todo o País.

3 comentários:

Turista disse...

Minha querida, também gosto muito de passear por terras de Melgaço! E o Museu do Cinema, é um Museu fantástico que nunca esperaríamos encontrar num local tão recôndito, verdade? :)

Ao Virar da Esquina disse...

Foi realmente uma surpresa! O funcionário foi muito simpatico e explicou que o realizador tinha feito uma entrevista a um casal de emigrantes de Melgaço e acabaram por ficar amigos sendo que ele voltou todos os anos para passar férias e resolvou doar aquele espólio para fazerem lá um museu do cinema.

iasousa disse...

e já está comprado o antigo cine pelicano, em ruinas, pela cmm para ser aberto um segundo pólo do museu jean loup passek-museu de cinema de melgaço.


mais melgaço em - foz do rio trancoso 42º 9' 15'' melgaço