domingo, 15 de outubro de 2017

O João já tem amigos


1ª festinha de aniversário de criança e o João ainda está na barriga! Primeiras lições para a mãe do João... filtro, com os outros pais, muito filtro. Tantas coisas com que não concordo, como fazer festas caríssimas para crianças tão pequenas que nem percebem o que se está a passar. Afinal a festa devia ser para os miúdos se divertirem, não, para os pais demonstrarem capacidade financeira.

Respirar fundo e contar até 10 para não me sair um - ah vocês são desses! Quando um casal ao saberem que faltam 2 meses para o João nascer, perguntam se vai ser cesariana? Eu nem respondi, se não saía um espero que não... e vai ser num hospital público! Sr Fofinho lá salvou a situação a dizer que gostávamos que fosse o mais natural possível.

Esperam-me uns anos difíceis... cala-te boca!

3 comentários:

Cynthia disse...

Ahah, faz parte, sim, de lidar com outros pais... e mesmo com quem não tem filhos! Eu só comecei a gastar mais dinheiro com as festas do meu filho quando ele entrou para a escola e começou a ter mais amiguinhos para convidar. Até aí, eram só com a família, sempre em casa e com o menor gasto possível, porque também não era preciso muito!

Quanto à cesariana, vou dizer-te uma coisa... já ouvi várias opiniões e a geral é que o parto natural requer uma recuperação menos dolorosa, mas por aqui sempre ouvi a minha mãe dizer que a recuperação dos dois partos naturais que teve foram difíceis. E eu acabei por ter o meu bebé de cesariana... e a recuperação não me custou nada. Ok, tinha pontos, tinha que ter algum cuidado, obviamente, foi uma cirurgia. Mas assustaram-me tanto com as cesarianas, cujo pós-parto era super doloroso e lento... e, no fim, senti que, caso tivesse outro, queria outra cesariana! O parto não custou, estava anestesiada (a dormir, inclusive, porque não me puderam dar local, devido à escoliose) e a recuperação foi relativamente pacífica.

Susana Correia Dos Santos disse...

A mim, não me faz confusão nenhuma uma cesariana, se for entendida como acto médico necessário e entendido pelo obstectra. O que me faz confusão é os pais decidirem se as crianças nascem de cesariana ou não. Devia ser uma opção exclusivamente clínica, na minha opinião.

Cátia disse...

O que vale é que sempre tiveste uma excelente capacidade para contar até 10 :)