terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Just wondering

Será que amamos mais um filho por ser filho de quem é? Olhamos para ele como ser independente e cheio de características individuais que o tornam único e irrepetivel? Ou é mais especial por ser um prolongamento da mãe que o carregou durante 9 meses e foi a primeira a sentir a sua vida? Ou talvez, se uma mãe for perdidamente apaixonada pelo pai da criança, será que vê no seu filho o melhor de quem ama? Que olha paras as mãos, as feições e o jeito do seu bebé, tentando adivinhar onde está o homem que deu vida à vida?


2 comentários:

Cynthia disse...

Se tivesses um filho de pais separados e tivesses uma relação impossível com o pai da criança, acho que terias a resposta para isso ;)

Susana Correia Dos Santos disse...

Sim, esta é mesmo uma pergunta aberta e cabem aqui a verdade de cada um.